quinta-feira, 12 de março de 2015

Sacos de plástico...avanços ou recuos?




O QUE PENSAM OS PORTUGUESES??

A chamada Reforma da Fiscalidade Negra (Verde). -Clara Antunes-

Bando de ladrões! Sempre a roubar o zé povinho!! -Pedro Nunes

Para lá do valor simbólico da medida, esta será também uma daquelas que deverá gerar mais receitas: uma fatia de 40 milhões de euros de um bolo que deverá subsidiar outra reforma fiscal, a do IRS mais amigo das famílias. - Ministro do Ambiente.

De acordo com a nova lei, quem deve pagar a nova taxa e imposto de 10 cêntimos é o fabricante. “Ao pedirem para pagarem os impostos estão a pedir para antecipar receitas para o Estado”, acusa Ana Vieira.

"Como 8 cêntimos por saco de plástico causam a sensação desconfortável de entrar quase à socapa no pingo doce com um saco mais ecológico do El corte inglês debaixo do braço, um pouco como se entrássemos em casa do ex com o novo namorado a tiracolo" - Paula Sim.

"Não é uma medida verde é uma medida anti-suicídio. O governo não quer concorrência para asfixiar o povo." -Margarida Pinto-


"Este aumento significará que o fator produtivo e de distribuição ficará mais caro com reflexos na carteira dos portugueses. Conto os dias para as próximas eleições para correr com estes bastardos. Quanto aos sacos, o aumento tão significativo acabará por ser a sentença de morte para muita da industria que vive do fabrico destes sacos, noutros países ouve um aumento gradual porque a finalidade era a da proteção do ambiente, em Portugal a finalidade não é essa..." - Jorge Dias-


O QUE É FEITO JÁ EM OUTROS PAÍSES?

Dada a multiplicidade dos problemas associados ao uso de sacos de plástico, muitas comunidades começaram a tentar libertar-se da obsessão dos sacos de plástico, implementando restrições ao uso ou mesmo a proibição destes objectos. A lei mais antiga referente à utilização dos sacos de plástico data de 1993 e foi implementada na Dinamarca. 

A lei é dirigida aos produtores de sacos de plásticos que têm de pagar uma taxa baseada no peso dos sacos. Foi permitido às lojas passar este custo acrescido para os consumidores, quer através da cobrança dos sacos quer através do aumento o preço de outros produtos. O efeito inicial da lei foi a diminuição em 60% do uso dos sacos de plástico.

Na Argentina, os estados de Buenos Aires e Mendoza também baniram os sacos. Em alguns estados do Brasil é apenas permitido o uso de sacos de plástico biodegradável. Em Janeiro de 2012, São Paulo baniu o uso de sacos de plástico pouco resistentes, permitindo apenas os de maior durabilidade, que passaram a ser taxados. Contudo, a medida acabou por ser abolida por um tribunal que, dizem os ambientalistas, terá sido influenciado na decisão pela indústria do plástico.

Na África do Sul, onde é possível encontrar sacos abandonados nas árvores, arbustos e outra vegetação, o saco de plástico foi já apelidado de flor nacional. Em 2003, foi implementada uma restrição ao uso de sacos de plástico muito finos que se rasgam facilmente e os sacos mais grossos são taxados. Outros 16 países africanos implementaram ou anunciaram já medidas para banir certos tipos de sacos de plástico.

Uma das medidas governamentais relativas ao uso dos sacos é o imposto nacional do saco da Irlanda, adoptado em 2002. Este imposto foi o primeiro a taxar diretamente os consumidores, começando nos 15 cêntimos por saco. Cinco meses depois da implementação a medida, a utilização e sacos caiu 90%. 

Contudo, com o passar dos anos, a utilização do material voltou a aumentar e, em 2007, a taxa foi aumentada para 22 cêntimos por saco. Em 2011, foi acrescentada uma ementa à lei com o intuito de restringir a utilização anual dos sacos até o máximo de 21 por pessoa.

Apesar de o imposto irlandês ser o mais conhecido, existem outros países europeus onde os consumidores pagam pelos sacos – quer através de leis ou iniciativa dos espaços comerciais. Estes países são a Bélgica, Bulgária, França, Alemanha, Países Baixos, Letónia e Portugal (onde já muitas lojas cobram pelos sacos). Adicionalmente, os Estados-membros da União Europeia terão de implementar medidas para reduzir a utilização dos sacos de plástico em 80% até 2019, refere o Treehugger.


O que eu acho?
Alguém nos anda a depenar...


Nenhum comentário: