segunda-feira, 13 de abril de 2015

O PRINCÍPIO DOS FIM...DO COMEÇO DOS NAMOROS



O começo dos namoros! Meus amigos...eu não sou louco, mas eu estou a caminhar para o primeiro Hospício que encontrar um dia destes! Os começos dos Namoros são lindos, fantásticos, fabulosos, as borboletas pairam no ar, podem assaltar-nos a casa, levar o carro, mota, tudo o que for preciso, porque andamos nas nuvens! 

-Amigo, estou tão apaixonado!! Ela é linda, inteligente, perspicaz! 
-Calhou-te a sorte grande amigo...
-Opá...acho que é a mulher da minha vida. Por falar nisso tenho de a ir buscar ao trabalho.
-Faz o quê?
-Não sei bem. Disse-me que atendia clientes em casa e que cobrava "20 rosas". 
-Epá!!! Calma lá!! Ela é uma prostituta!!!
-É um bocadinho...mas também a intenção de a colocar a trabalhar na rua foi minha...

Nos namoros, trocam-se juras de amor sistemáticas...." Tu és o meu amor...eu sou o teu amor, vamos ter filhos, vamos casar, és o Homem da minha vida...és a mulher que eu mais queria; juntos construiremos a pirâmide do amor , ahhhh cuidado que eu sou virgem não faz dói-dói com a maçaneta da porta.

-Amor, amas-me?
-Amo amor!
-Muito?
-Muito mesmo?
-Completamente?
-Sim...
-Sim, porquê?
-Tanta pergunta...
-Vês!!! Eu sabia que não me amavas!!

Somos tudo e mais alguma coisa. É aquela que queremos...é aquele que desejamos. E depois?? Sim e depois? Passado uns tempos: " Olha zé Roberto,  a cabra...ligou para mim e disse que eu era um estúpido e nunca mais me queria ver!". Ou Então....chegamos a casa e descobrimos em cima da mesa da cozinha um papel ( Papel??Qual Papel??) a dizer:

" Amor....sabes que sempre foste quem eu mais queria.  Foste tudo na minha vida. Contigo aprendi a pular na cama que nem uma louca. E graças a ti a equipa de ginástica rítmica do bairro faz fila para estar comigo.  Deste-me tantas alegrias como,  aquela vez que fomos ver o filme romântico: " A bela lixou-se para o monstro e fugiu com o cocas". 

Mas agora não me sinto bem, não estava mais na relação. O meu pensamento estava no outro. A vida mudou, e conheci o primo do Hipólito, lembras-te? O cunhado da Joana? Não te faças de parvo! É aquele no dia em que foste ver o Benfica, ele ficou comigo em casa! Ele e aqueles dois angolanos. Mas não te preocupes que eu não fiz nada! Eles é que me fizeram a mim! Não te disse mas o Hipólito era impotente. Deixa lá o que passamos, porque estou grávida dele há seis meses. E tive de fazer 2 abortos dos angolanos. Há dois anos atrás deixei 2 recém nascidos num lar de adopção. Chamavas-me gorda...mas estava grávida do Paulo e Ricardo. No entanto, gosto muito de ti, sabes disso, não fiz nada por mal, são coisas que acontecem! Mas preferia que durante a noite não adormecesses tantas vezes. Era bom que estivesses atento, porque a equipa de basquetebol costuma subir pelas traseiras.  E pára com essa mania de utilizares utensílios da cozinha, como a concha sopa....isto não é o túnel do metro.  Beijos...da tua e sempre amada...

Nota: Tens Bifes no congelador...faz a papinha...faz mor....e aquece leitinho, para não se estragar!! Se quiseres biscoitos, estão na casa do Pedro. Esqueci-me deles lá na segunda feira.

Odeio isto! Sentimento que mudam de um dia para o outro! Ahhhh...e tal é a vida! Hoje amo-te muito....mas caga nisso,  que agora as quecas com o Padre da Paróquia são melhores que Hóstias que vendem no LIDL!  É a vida?? Hummm...não é não...são sintomas de putice extra conjugais, exacerbados pela extensa lista de desejos interiores.

Não há como parar isto...







Um comentário:

Claudia Dias disse...

Hmmm...não acho que seja bem assim. Uma pessoa não deixa de amar de um dia para o outro. A menos que seja uma pessoa para quem o amor é plástico e descartável, que se usa num dia e se deita fora no outro. Para essas sim, era "ah, já não te amo, é isso". Nunca é, nunca pode ser só isso! xD

Claro que há vários factores que influenciam o fim de uma relação. Não estou nem pouco mais ou menos a dizer que a partir do momento em que dizes que amas uma pessoa que tens de amá-la para sempre...MAS não é simplesmente de um dia para o outro deixar de amar. Pode deixar de se amar, sim, mas nunca é só "porque sim"!