terça-feira, 8 de setembro de 2015

ALGUÉM PERGUNTOU: ONDE ESTÁ DEUS?





ALGUÉM PERGUNTOU: ONDE ESTÁ DEUS?
PERGUNTA: SE DEUS EXISTE, COMO PERMITE TAL ATROCIDADES?

BRUNO: Esse é a pergunta que todos fazem sistematicamente! Se eventualmente fomos criados por um ser omnipotente e omnipresente, porque ele permite que estas atrocidades aconteçam com a sua própria criação?

Não querendo fugir à sua questão, a liberdade que o homem tem não lhe permite fazer escolhas, sejam elas moralmente ou eticamente aceitáveis ou não? Era preferível ser manietado, sermos uma marionete, onde todas as decisões passassem por ele? Preferimos a liberdade ou o prisão psicológica?

Deveria Deus não permitir algo que, do alto da sua bondade nos foi facultado? Que Deus teríamos então? Um ditador? Um tirano? Deus não é tirano e seria uma obscenidade, classifica-lo como tal! Deus não permite tiranias! O homem permite-se a si com a liberdade que Deus lhe concedeu fazer uso das suas ditaturas e tiranias sobre os seus próximos. O conceito de Deus só passa a ser futilizado, banalizado,  quando aqueles que clamam em nome dele o fazem com determinados proveitos, proveitos esses que se definem por ganhar dinheiro em nome dele, matar em nome dele, pedir em nome dele quando nunca em momento nenhum se deram ao trabalho de o receber, estuda-lo, perceber e consequentemente acabam por utilizar-se de um Deus inexistente. Deus é inócuo na cabeça daqueles que em si não trabalham a fé em prol da humanidade. O homem não é omnipotente ou omnipresente. O homem é apenas o que é....e é só isso...um ser só!

Mas tem nas suas mãos o direito e a faculdade de trair, mentir, enganar, ludibriar, matar...o pior de si mesmo, não veio do pior de Deus, veio da incapacidade de perceber a bondade, o amor, a solidariedade, fraternalidade, carinho, amizade. Bases que definem para o bem ou mal as escolhas que fazemos.  Aos olhos de Deus é óbvio que não permite tal atrocidades! Aos olhos dos homens, todas as atrocidades são permitidas em nome de Deus. Pergunte-se: Estará Deus lá em cima em festa pela morte dos seus filhos que barbaramente tantos são assassinados? E supostamente deveria aparecer como uma espécie de super herói de capa e acabar com todas as dores...criadas por nós?


PERGUNTA: AO NÃO ATRIBUIRMOS CULPAS A DEUS, DEVEREMOS ENTÃO PRESSUPOR QUE ELE, NÃO É TÃO OMNIPRESENTE E OMNIPOTENTE COMO PODERÍAMOS PENSAR? E DESSA FORMA CULPARMOS A SUA CRIAÇÃO POR TAIS ATOS!?

BRUNO: Isso é completamente estapafúrdio! Se o meu Pai me der um cão e o mesmo for atropelado por um carro, não poderei nunca culpar o meu Pai. A não ser que o culpe por ele o levar à rua, e dessa forma criar condições,  para que ele seja realmente atropelado e dessa mesma forma criar aí sim, um bode expiatório, no caso o meu Pai! Se uma abelha não encontrar mel culparei Deus? Se for despedido, despejado de casa, se uma relação não der certo, culparei Deus? Onde é que mora o erro de Deus....e em que ponto mora a nossa moral? Pode uma criança ser violada por um pedófilo e atribuir a culpa a Deus?! Onde está Deus?

E se o pedófilo, sabendo do problema psicológico que tem procurasse ajuda? Diríamos que foi intervenção de Deus? Sabe nós somos seres totalmente hipócritas com tudo isto. Vemos morte, clamamos por Deus. Vemos traições, mentiras, relações, putarias, pornografias, lúxurias,  coisas sórdidas no mundo...e dizemos que estamos em aprendizagem! Ninguém clama por Deus ou pergunta, porque permite tal atrocidade. Porque o que nos sabe bem, mesmo praticando um pouco....só um pouco de mal, eleva-nos a todos como seres merecedores do Céu e terra. Pois o bem que achamos que fazemos, é o mal que crivamos nos outros tantas vezes. A hipocrisia é a marca do egoísta. Somos fundamentalistas de ideais vazios de Deus. Escolhemos o Deus sempre que nos convém mais, e claro esse é sempre a nossa base de salvação. O Deus do facilitismo.

Perceba que as pessoas efectivamente criam sempre condições, sejam boas ou más, para que algo aconteça.  Mas efectivamente os meus critérios, as minhas escolhas deverão passar por mim...ou pelo meu pai? A minha suposta bondade ou até maldade deverá ser atribuída por todos os motivos ao meu Pai? Percebe o que lhe quero dizer? O mais fácil de tudo seria arrumar o usual bode expiatório. Que suposto crente seria eu se na minha culpa, na minha pequenez eu culpasse um ser muito maior, criador de tudo e todos? Que facilidade seria! E que honrarias traria? Eu que do pó vim e ao pó voltarei, atribuiria uma culpa a quem me deu o sopro da vida? A oportunidade de nascer? Ao atribuir uma culpa a um criador, proclamo-me também como um imenso  traidor de toda a aprendizagem que tive acesso, porque na verdade não se aprende o que deveria ser certo de seguir. Veja bem...nós seguimos sempre o que nos convém.

PERGUNTA: ACREDITA NA PREMISSA, QUE DEUS NÃO É MAIS DO QUE UMA INVENÇÃO DO HOMEM, COMO TANTOS OUTROS DEUSES INVENTADOS? E AO MESMO TEMPO A RELIGIÃO É A MAIS INDIGNA FORMA DE MORTE DO HOMEM E SUAS CIVILIZAÇÕES?

BRUNO: Eu posso dizer-lhe o que acho indigno! Há quem defenda que somos o parente próximo do macaco, que fomos evoluindo desde os primórdios da pré história. É uma tese, é uma base cientifica que me custa a aceitar e obviamente acreditar. Acreditar num planeta criado com todas as condições para se viver, exactamente dentro de um sistema solar que bastaria trocar Mercúrio por terra e não teríamos condições de viver, bastaria que a terra ficasse no lugar de Úrano ou Plutão para que não existíssemos....e custa-me a aceitar que demoramos milhões de anos em evolução, em guerras, em mortes, conquistas, catástrofes, passamos por duas grandes guerras mundiais, holocaustos...para hoje estarmos tão próximos de uma terceira vaga de guerra, morte, miséria, fome....e a pergunta que fica é: Levamos milhões de anos em evolução para isto? Levamos milhões de anos de aprendizagem para fazermos exatamente o que fazíamos há 20 mil anos atrás? Cinco anos? Ontem? E perguntamo-nos nós...porque Deus permite tal atrocidades? Seremos nós assim tão justos para colocar Deus no banco dos Réus?

Não importa saber se a gente acredita em Deus: o importante é saber se Deus acredita na gente...
Mario Quintana



2 comentários:

Claudia Dias disse...

Muito bom, Bruno, exelente!
Apesar de eu não ser religiosa nem crente em nenhum Deus (só escrevo com letra maiúscula por respeito a ti :P ), tens razão em muito do que dizes.

Apesar de eu concordar e me identificar com a maior parte dos argumentos ateístas, há um com o qual não concordo e que é "as religiões são a maior causa de guerras e mortes no mundo". Acho que essa afirmação é errada, porque as religiões em si não podem ser culpadas, nenhuma delas apregoa sequer de perto guerras e mortes; as pessoas é que fazem mau uso do que interpretam (também erradamente)!

;)

Claudia Dias disse...

*Excelente (enganei-me no comment anterior)