E A MULHER DISSE: EU DANÇO CONFORME TRATARES O MEU CORAÇÃO...


-Bruno quero que me deites na cama e me trates como se fosse tua!!
-Trate como se fosse tua? Mas tu não és minha??
-Porra...quero que me puxes os cabelos, me dês umas palmadas e me consumas por inteiro!
-Tás parva!!? Não te vou dar palmadas!! Isso não dói? Ficas com escoriações....eu tenho o máximo respeito por ti!
-Deixa de ser "Gay in the Closet", dá-me com força!!!Chama-me cabra, vaca, safada, gostosa!

Entendi que deveria atender ao pedido dela...fui buscar a tampa da panela à cozinha e fingi que estava à janela em noite de fim de ano. Bati-lhe tanto que fui preso durante 4 anos....por violência doméstica.  ( Estou no gozo...calma...) tinha acabado de fumar uma daquelas coisas que faz rir e acabei por adormecer, agarrado ao "Puskas" o peluche. 

Ela acabou por acabar comigo chamando a si a norma jurídica da lei da mulher nº 678\2016, em que diz: 

"Toda a mulher que se verifique estar insatisfeita e não satisfeita sexualmente pelo seu parceiro pode e deve trair de forma a que o mesmo entenda que ser "frutinha" é um termo que não se coaduna com os desejos de uma mulher que tem as suas necessidades desrespeitadas".

Depois de anos de pesquisa com relações umas longas outras menos longas, relações extra, amantes, namoradas, curtições, traições, desculpas, perdões, necessidades, insatisfações, receios, dúvidas, questões pertinentes, uma passou-me sempre pela cabeça: Porque gostam as mulheres  tanto dos chamados "Bad Boys"? E fiz este pergunta porque no momento que enverdei momentaneamente pela personalidade semi-adquirida de Bad Boy, não parei de ouvir: "Please Bruno, call me, why don t you call me?!!". Quando era quieto e bonzinho a pessoa que mais me ligava anos a fio era a minha mãe....just her!

Mas a questão é muito simples: Elas não estão familiarizadas com o conceito de "Rapaz bonzinho. E acreditem não estão! Maioritariamente foram mal tratadas, desrespeitadas, enxovalhadas, humilhadas....acredite-se ou não, não se pode culpar e dizer: As mulheres são umas cabras! ( Porque será??) Se aparece um bonzinho...elas não estão habituadas a isso. Para elas o "bonzinho" é o novo tapete de todos os ex.namorados que passaram pelas suas vidas. Se és bonzinho...elas vão-se vingar! Por isso tem medo quando alguma diz: "Agora sim, encontrei o homem dos meus sonhos!!!" Your are fucked boy...

Com o tempo percebi que só e apenas só "Bonzinho" é um conceito redutor e bichona. E aqui nada contra os rapazes que gostam de brincar ao confronto de "Espadinhas".

Antigamente depreendia que tratar bem uma mulher a todos os níveis requeria da minha parte uma panóplia de hierarquias e estruturas que pudessem fazer com que a mesma se sentisse bem. Seriam pois essas, a nível emocional, nível sexual, nível profissional, financeiro, nível de inteligência, arte, encaixe, cultura, manutenção de gostos similares que pudesses fazer com que aquela mulher não piscasse o olho ao "lobo" da vizinha...senão: "He will eat her". Peguei na mala das hierarquias e toca de distribuir tudo o que tentava entender que seria, o que de melhor em mim eu tinha.

Ser cavalheiro, educado, sensível q.b, sedutor, capacitado para as emergências que aparecem e resolve-las, ter atitude, responder com soluções, atender as necessidades, procurar estar presente e ativo, são essenciais, para que o bolo do "Bonzinho" faça furor numa relação. Mas na verdade o bonzinho por vezes esquece-se de que, necessita de ter um braço do afago e um braço da dureza (q.b). 

E ás vezes ele utiliza só um. Os bonzinhos por vezes transformam-se em sacanas, não porque sempre foram bonzinhos, mas simplesmente porque deixaram de ser tapados.
É como se escutassem uma voz que dissesse: " Be a Man!" E este "Be a Man" representa na verdade o que as mulheres necessitam a todos os níveis. Ainda assim esta mesma necessidade é acompanhada de uma penalização sistemática ao conceito abrangente do famoso príncipe perfeito. Meninas não existem príncipes perfeitos e o "Bad Boy" não é mais do que um diabo vestido de anjo de luz. Por isso girls: " You will Suffer" que traduzindo quer dizer: Vai correr tudo bem...

E por não existirem príncipes é que essa insatisfação fica provada nas inúmeras tentativas de relações e busca de uma, que se encaixe como um puzzle de forma a proporcionar um equilíbrio. Não existem traições, existem culpas no cartório de não se fazer o que se deve fazer no momento que é necessário fazer. 

-Bruno, fui traída!!!!
-Xiii amiga...o que fizes-te???
-Estúpido!! Acabei de dizer que fui traída!! E não merecia!! E perguntas o que eu fiz!?
-Não ficas até tardíssimo no trabalho, quando podes sair mais cedo e ter alguma qualidade de vida com ele? Não podes ir sair quando ele te pede e preferes ficar a ler um livro? Não ficas com ciumes loucos quando ele sai com alguém? Não o proíbes de sair com amigas e só tu tens de estar presente? Quando te convida para ir fazer alguma viagem não estás sempre ocupada?
-Mas eu tenho a minha vida profissional  e o meu feitio Bruno!!!!
-Wrong answer girl! You didn t see the light....yet!

A traição não é mais do que um aviso de que alguém anda a navegar erradamente, porque o dono do barco simplesmente ligou o automático e nem quis saber. Simples, monotonia leva a poligamia...

Ora nesta coisa das hierarquias sentimentais e necessidades se acertava em algumas...outras falhava. As criticas com o decorrer do tempo foram se acentuando:

"Não fazes isto, não fazes aquilo, não és beijoqueiro, falta-te isto, és reservado, dormes com um peluche, quero que me encostas à parede e digas ao ouvido: " Be my bitch" em vez de: " És a menina do meu coraçãozinho!"

Enfim...ter a pureza inicial de "love" resulta no inferno astral de..."You Know what?? Your fucking alone!Be a Man!"

Melhorava aqui, mas não subia no ranking de outra possível hierarquia que era necessário para que ela se sentisse alimentada na alma. 

Quando isto acontece vais ter sempre um olho em ti, mas lutas contra as portas que foram deixadas abertas, e o outro olhar que se virou para fora. E há sempre alguém que entra na área, não para rivalizar contigo, mas para te mostrar que as  tuas  deficiências resultam na abertura de portas alheias. 

Sabem aquele momento que a mulher chega cansada a casa, depois de um dia de trabalho e encontra a casa virada do avesso e tu sentado no sofá a ver algo? E ela lança-te um olhar que se vislumbra no pensamento dela que na verdade mais não é do que te dizer calada: "Tu não foste a minha primeira escolha..." esse é o olhar que testemunha que ela já não precisa de ti.

Há que criar ou tentar criar um meio termo entre o "Bad Boy" e o "Good Boy". Conseguindo criar este meio termo o sucesso em termos gerais, abrangentes regulam o teu equilíbrio. Não falo de um sucesso entre as mulheres. 

Falo de um sucesso interior, de capacidade de aglutinação dentro de nós. Perceber as necessidades, perceber quem são os outros, como somos nós, como nos podemos também adaptar, entender, perceber....renovar, assimilar, debater, para que a envolvência, as visões, os conceitos não se resumam  apenas aos cognomes de: "As Putas e os Sacanas" que passam a vida de mal com tudo e todos. Um traiu, a outra traiu, aquela não presta, o outro não presta e na verdade falam todos os desequilibrados do equilíbrio que lhes falta. 

Há uma linha essencial para mim no que toca a todos. E essa linha chama-se défice de atenção e por isso mesmo o lobo (a) da vizinha se aparecer...significa que o cordeiro que ainda és precisa ainda de sofrer, crescer, para entender que para ser um " Be a Man" é simplesmente saber estar acordado. E saber estar acordado para não perder é saber...cuidar.

Remember: Be a Man





Comentários

Claudia Dias disse…
Gostei do texto, mas não concordo que coloques a culpa toda de uma traição, na parte traída. A culpa pode ser também da parte traída, mas se há insatisfação, por falta de atenção ou seja o que for, a outra pessoa deve parar para conversar, falar, debater, e não simplesmente meter-se com outro(a) . mas é só a minha opinião. :P

Postagens mais visitadas