A GORDA E A GOSTOSA - ENTRE O CÉU E INFERNO NÃO VIVEM PEDAÇOS DE CARNE....


Vi-te passar naquele dia na rua. O trânsito praticamente parava. Elegante, corpo violão, uma tentação em cada passo que davas. Na forma como te mexias e deixavas os homens de queixo caído. Em cada canto e recanto, o teu perfume deixava um rastro de destruição no coração dos homens.
Dizias-me ao ouvido sobre a tua amiga:
...."Coitada, está encalhada, não se cuida, não se trata, está gorda, ninguém dá um centavo por ela. Não entendo como há homens com fetiches por gordas. Já viste? Aquelas banhas na cama a saltarem de um lado para o outro gelatinosas? Quem é que gosta daquilo e sente tesão? Deduzo que os desgraçados que não tem sorte ao amor acabam por ficar com estes restos."...
Rias desalmadamente em tom jocoso. A tua auto estima competia com os Deuses. Estavas num momento único, adorada, venerada, brincavas com o corpo, pois sabias que ele era um pedaço de pecado de perdição seja de solteiros, víuvos ou casados. Tinhas todos na mão. Mas mal sabias tu que no fundo nada tinhas.
Anos passaram e em cada ano notava-se que eras como o vinho do Porto. Quanto mais velha, ainda mais apetecível.
A amiga gorda, encalhada, sem esperança no amor, destruída por dentro e com a sua auto estima em baixo, foi virando chacota das amigas, um pedaço de carne em grande escala que se arrastava pelas mesmas ruas e becos que tu.
Iam-se encontrando de vez em quando aqui e ali. Não podias ser vista com a gorda, fugias normalmente para o outro passeio, para não seres conotada como próxima daquele monumento em larga escala que em nada abonava em teu favor.
Entre sorrisos e acenos dizias de bem longe: " Oi amiga? Tudo bem? Estou cheia de pressa, tenho uma sessão fotográfica. Bj grande"
Ela virava as costas numa tristeza impenetrável. Que só ela mesma, com o espelho da sua alma poderia enfim segredar.
Sozinha, sentava-se à beira da cama, olhava para o alto e perguntava-se: " Porquê? Porque é que eu sou assim? Porque ninguém me quer?" Chorava desalmadamente sozinha agarrada às suas almofadas. Gritava com os Deuses: " Quero morrer!! Porque não me levas! Leva-me por favor!!"
Continuava e pensava para si: "Tanto sofrimento, tanta tristeza nestas lutas dos egos da carne. Uns tentam viver e outros sobreviver. Eu só quero ser feliz!Só isso...apenas isso. Enche-me de luz, mostra-me o caminho! Uns procuram amores fáceis outros amores para a vida toda. E o que tenho eu deste mundo? Todos me renegam! Mas porque eu não encontro? Não me amarás tu meu Deus, ou quem seja que esteja aí!? Abandonas-me tu também? Livra-me deste sofrimento! Por favor....por favor...livra-te de mim!"
Anos passaram, e quanto a ti, deixas-te de ter sessões de modelo fotográfica. Os homens já mal olhavam para ti. Descuras-te os estudos os problemas que foram advindo de uma vida mal programada levaram-te a trabalhar em pequenas lojas do espaço público.
O dinheiro era pouco e homens...bom...homens esses não queriam mais nada contigo.
Lembras-te da gorda triste, em sofrimento? A gelatinosa que mal sabia fazer sexo? Foi promovida a Diretora, de uma das novas lojas de roupa de marca a nível internacional. Viajou, casou, dois filhos lindos. Sim...continua gorda! É bem verdade, e na verdade ainda mais uma gorda. E ele, a quem a quem ela pedia, bom esse...nunca a abandonou...
Encontrou-se por acaso contigo numa das lojas. Reconheceu-te...aproximou-se e de sorriso aberto de tão feliz por te ver, deu-te um enorme abraço.
Não percebeste...hesitas-te e perguntas-te:
-Mas porque me abraças se eu te tratei tão mal tantas vezes...e foram tantas essas vezes, que até‚ me envergonho só de pensar.
-Nunca me tratas-te mal querida! Cumprimentavas, acenavas, estavas sempre apressada para as tuas sessões...mas não me tratavas mal.
-Mas eu tratava...disse coisas horríveis a teu respeito...
-Disseste diretamente a mim?
-Não...claro que não! Sabes bem disso!
-Mas tu...ficavas tão triste. Eu vi os teus olhos...eu sei que ficavas triste pela forma arrogante e fugida como te falava...
-Não ficava triste pela forma como me falavas...
-Não?
-Claro que não! A tristeza não era pelo que dizias...foi sempre pelo que tu pensavas. Olha, mas aproveito e como nova gerente desta loja, soube que estás a passar dificuldades dei-te um aumento de 30% para que possas refazer e melhorar a tua vida e desejo-te um resto de dia feliz....
-Porque fazes isso por mim?
-Porque uma mão...pode lavar as lágrimas de outra face...
-Tu és fantástica...
-Não querida...eu sou simplesmente humana...

Comentários

Postagens mais visitadas