EXISTENCE


Eu ouvi-te gritar. Ainda assim fingi não ser comigo. Não me leves a mal, não entendo o teu grito e o porquê de gritares. Não entendo o teu choro e o porquê de tantas lágrimas. Sopras ao ouvido em desespero. Gritas tu por amor ou atenção? Gritas por revolta? De vida perdida? De sonhos desfeitos? De amores impossíveis? Eu sei...eu ouvi-te gritar. Ainda assim não entendi. Desafias os meus sentidos, saíste de armas em riste gritando: "Eu existo!!" Revoltaste-te! Eu vi...mas não quis olhar. Eu percebi, mas não quis ouvir. Não entendi que querias respirar vida. E eu ainda assim quando percebi, entendi que do tanto de vida em ti...afinal eu estava morto em mim.

Bruno Fernandes

Comentários

Postagens mais visitadas