AGÊNCIAS DE EMPREGO: BUSCA E PROCURA DE NAMOROS - CURRICULUM DE RELAÇÕES AMOROSAS


Ontem fui a uma entrevista a uma agência para uma entrevista de emprego e enquanto esperava juntamente com alguns rapazes e raparigas que por ali estavam lembrei-me: Isto seria giro, se houvesse agências para empregar, juntar, alicerçar almas e sentimentos a uns e a outros, mediante obviamente o curriculum que mais se aproximasse do desejo daquela e daquele que procura alguém para si? Como seria?

Fiquei ali sentado enquanto não me chamavam a esquematizar todo o quadro na minha cabeça. 

Entrevistador: Bom dia Sr. Bruno, como está?
Bruno: Bem obrigado!
Entrevistador: O Bruno enviou ontem um email para concorrer a uma senhora que se encontra disponível. Vamos falar um pouco acerca desta oferta e porque o Bruno decidiu concorrer. Se eu perceber que o Bruno pode ser a pessoa indicada, teremos depois um ou dois testes para perceber como o Bruno encaixa nesta oferta. Pode ser?
Bruno: Sim, claro! Plenamente de acordo!
Entrevistador: Então Bruno, vamos falar um pouco sobre a oferta que tenho aqui para si. A Tânia é uma pessoa que já trabalha em conjunto com esta agência há algum tempo, já está no mercado há vários anos e teve a necessidade de nos contatar na perspectiva de encontrar um novo amor. A Tânia tem 32 anos, mede 1,67, olhos castanhos claros, pesa cerca de 57 kilos e é solteira. Assim, para uma rápida primeira impressão agrada-lhe?
Bruno: Bom...de momento, claro que sim. Aliás estou aqui exatamente por isso. Tenho estado parado e dessa mesma forma achei que esta seria a pessoa com a qual eu pudesse ter algo ou começo de algo importante.
Entrevistador: Muito bem! Bom Bruno...eu vi o seu curriculum e reparei que o Bruno tem experiência internacional. Teve namoradas brasileiras, andou a mordiscar por angola e vejo incrivelmente que na Arábia Saudita o Bruno só ia a festas mas...não teve ninguém. Quer falar um pouco sobre estas experiências?
Bruno: Bom...verdade seja dita que estas experiências nos dão, no nosso requisito emocional uma abrangência cultural e forma de estar e lidar com diversas emoções de forma mais ampla não só de conhecimento como de experiência com formas de estar.

Entrevistador: Muito bem. O Bruno Entre 2011 e 2016 vejo aqui no seu curriculum que passou por várias relações. Sabe que efetivamente isto pode dar a parecer alguma instabilidade no que toca aos relacionamentos. 

Bruno: Bom...não vejo essas situações como instabilidade, antes porém como experiências e conexões que por diversas razões, feitios e formas não se conseguiram agregar da melhor forma. 

Entrevistador: Certo! Bruno, vamos também ao que interessa, que é a vertente financeira. Devo dizer ao Bruno que a Tânia por força de uma vida de estudos e equilíbrio profissional, tem um salário de cerca de 1200 euros, além da vantagem de viver sozinha, tem carro próprio. Não sei se será um handicap para si...mas a mãe da Tânia, que eventualmente poderá ser a sua sogra, ainda está viva. O que acha o Bruno disto?

Bruno: Bom...não tenho nada a apontar, acho que as condições são boas. Tem as suas bases o que também é o mais importante.

Entrevistador: Gostava de saber da parte do Bruno e mediante o seu curriculum que apresentou se esta experiência efetiva no plano sexual é para manter. Pergunto isto, porque o Bruno tem 40 anos e sabe que às vezes aquela força, fogo, lúxuria tem tendência a diminuir com o passar dos anos.

Bruno: Ahhh...nesse sentido sou completamente ninfomaníaco! Estou à vontade nesses requisitos.

Entrevistador: Muito bem Bruno. A nível de beijo e toque como o Bruno está? Vejo que está parado pelo seu CV há mais de 2 anos e a Tânia procura alguém que não perca de certa forma essa atividade. Digo...de andar de mãos dadas, de beijar na via pública, em casa, de poder estar sempre em forma digamos assim. 

Bruno: Bom...é como andar de bicicleta penso eu. Certas coisas não se esquecem. 

Entrevistador: Claro. Pergunto isto porque a Tânia é efetivamente uma pessoa muito centrada, perfecionista que não gosta de monotonias. Vejo que o Bruno pela experiência que tem pode ser a pessoa certa para o cargo. Ainda assim e tal como disse vai ter de fazer um pequeno teste de 10 minutos. O teste consiste apenas e só durante 10 minutos na prática de sexo oral com uma assistente nossa que virá ter consigo assim que eu a chamar. O Bruno sente-se preparado?

Bruno: Sim, perfeitamente.

Entrevistador: Bom Bruno, se me permite vou chamar a assistente para o teste e daqui a 10 minutos volto.

Bruno: Se me permite, só tenho uma questão a colocar. A nota deste deste é dada na hora?

Entrevistador: Não sei se reparou mas nesta sala onde nos encontramos existem vários aparelhos de som que estão ligados a uma outra sala onde estarei. Quando eu ouvir do outro lado: " Aii tão bom...continua...estou a vir-me..." é sinal que o Bruno naturalmente passou.

Bruno: Muito bem...

Dez minutos depois...

Entrevistador: Bom Bruno, penso que poderemos dar por terminada esta entrevista por aqui. Vamos entrar em contato com a Tânia e apresentar a conclusão desta entrevista. Se a Tânia concordar em ter o Bruno ao lado dela, passará depois para uma segunda entrevista com os Pais...pode ser?

Bruno: Claro! Fico à espera e desde já agradeço também a oportunidade.




Comentários

Claudia Dias disse…
Ahahahah! Muito bom!!! Só ficou a faltar o resultado do teste!!! :P

Postagens mais visitadas