sexta-feira, 11 de novembro de 2016

NASCI PARA SER UMA ESTRELA...




Tem sido cada vez mais recorrente o acesso a selfies mais ousadas de muitas mulheres, como forma a garantir que o sucesso de likes e comentários acentuem ainda mais uma legião de fãs através do culto do corpo.  Deduzo que possam elas pensa que: "Será que se mostrar o rabo, encontro a minha alma gémea?"

Como Sigmund Freud dizia: "Tudo na verdade se resume a sexo!" Reflete assim,  que o interesse que move mais de 75% das pessoas é sexo...

Não é um livro, não é um blog, não é o amigo que dá o ombro, não é uma página, um conceito de culinária, não são os balõezinhos enviados para o céu a favor de vitimas de atentados, de guerras ou sofrimentos. Não são os preços que aumentam, a globalização, os efeitos de gases de estufa. Não são os órfãos, os sem abrigo, os desiludidos, os bonzinhos, os desfavorecidos.  Não é a salvação das baleias, do  " Free Willy" (Well..."Fuck Willy") , golfinhos, animais em sofrimento que prendem a atenção.

São as bundas, os seios, a beleza, a putaria, a luxúria, as provocações, os olhares, as posições, os kamasutra e afins. O gosto pela provocação faz o deleite dos homens, assim como de muitas mulheres e ambos o sabem e ambos o querem. Faz parte...não há como fugir.

JC dizia: " Amem-se uns aos outros". Esta conotação de nos amarmos uns aos outros é simplesmente: Façam o bem uns pelos outros. JC não dizia: " Take a Selfie of your ass and you will enter in paradise!" -  O povo até entendeu tudo certo...mas decidiu fazer tudo errado. Well...fuck the paradise...

Na verdade o conceito de globalização também acentuou e arrastou consigo um novo conceito de liberdade tecnológica a que chamo de: Fodalização virtual nesta aldeia global de santas e santos que se transformam e crescem a olhos vistos. A proliferação da liberdade, de sociedades de consumismo, de beleza, de status do corpo, liberdade sexual, de correr pela venda mais fácil como forma de ter ganhos mais rápidos, transformou o corpo num jogo de marketing onde ninguém deseja que se vá à falência. 

Os homens esses tentam por todos os meios tentar manter esses impérios em pé, com palavras de força, dedicação, atenção, instituem e fornecem doses de auto estima. Os likes proliferam, os comentários arrastam-se uns atrás os outros. Venham mais rabos, mais seios. E o que mais se ouve: " Sell it, Sell it, Sell it!"

O corpo passou a ser uma instituição de renome, de facilidade de venda e de consumismo intenso.  A consciência essa...abriu leilões onde nem a preços de Low Cost a mesma consegue ser vendida.

Deixou de haver na verdade uma consciência de responsabilidade e passamos a ver a consciência como um sub-produto. Como me posso "vender" melhor? Que atributos, potencial, talento possam garantir um retorno mais facilitado? Tirar as calças e a blusa...pode ser uma vantagem para virar uma estrela...

Mas há sempre algum tipo de escolha! E na estrela que os outros se dedicam a ser através do culto do corpo, eu dedico-me a dar o corpo à arte do culto da escrita.

Por enquanto...os likes dos corpos vão tendo mais likes que a escrita. Resume-se apenas consciências diferentes de produtos distintos...

Nenhum comentário: