VIDAS DESAJUSTADAS



(...)VIDAS VIVIDAS, DESAJUSTADAS. VIDAS VIVIDAS AINDA DO DESEJO DE SER, DA IDEIA DE TER O QUE A JUSTIÇA REQUER E TARDA EM APARECER. ESTA IMAGEM DE SER, O QUE NUNCA QUIS SER, REFLETE-SE NUM MUNDO SONHADO, NESSE OLHAR SUBLIME, DE QUE A MORTE REALMENTE SENTIDA…É A IMAGEM DA VIDA MANTIDA.(...)

Vidas existem que pelas circunstâncias validadas, sem terem sido alguma vez pedidas e que forçosamente tidas como acreditadas pela força da ilusão, se privaram da liberdade e consequentemente da ideia, que aos poucos cai por terra, de um tempo que ainda dê tempo a uma altura do dia em que a vida enfim…sorria.
São vidas sufocadas pela acreditação de outrora de um compromisso tido como abençoado. A bênção tida, desejada, numa verdade de vida recheada de alegria, esbate-se com o tempo na imagem da amargura, da falha na liberdade e num novo nascer que se valida pelo acordar para o vislumbre de um intenso pesadelo.
O amor tido como capacitado, trabalhado, nutrido, desejado na imagem de um sonho sonhado, perde-se na falha intensa dessa mentira criada. Vidas aprisionadas, privadas de liberdade, jamais resgatadas. Vidas aprisionadas pelas circunstâncias financeiras, pelo receio de mudanças timidamente ainda sonhadas. A nutrição desse amor em tempos desejada com intensidade, perde-se na sistemática proliferação de dissabores, memórias vividas em cenários de vidas de horrores.
Vidas que passam, que se perdem e se esquecem por entre sorrisos de felicidade alheia. Porque não eu? Porque não nós? Vidas falhas de preenchimento de dias vazios, de noites perdidas, de desgraças sentidas, em faces esquecidas. Vidas que passam a vidas distantes, a memórias de conquistas perdida. Vidas desconhecidas, não desejadas, mal amadas e para sempre marcadas.
Vidas vividas, desajustadas. Vidas vividas ainda do desejo de ser, da ideia de ter o que a justiça requer e tarda em aparecer. Esta imagem de ser, o que nunca quis ser, reflete-se num mundo sonhado, nesse olhar sublime de que a morte realmente sentida…é a imagem da vida mantida. E o desejo de um sopro de vida que se quer alterada. E ainda que morta em mim, que morta em nós, será sempre sonhada.
Ainda que o sonho, não seja por mim, ainda que não seja por eles…por Deus…que esse sonho de vida...viva para sempre em ti e que o deixes sem mágoa...morrer em mim.

Comentários

Postagens mais visitadas